RYE – Oficiais e Conselheiros

CONSELHEIRO

APOIO AFETIVO: ELO ENTRE O JOVEM E O CLUBE

IMPORTANTE:

Todo jovem participante do Programa de Intercâmbio de Jovens, seja Outbound (brasileiro no exterior) ou Inbound (estrangeiro no Brasil), deve ter um conselheiro. É de responsabilidade do Rotary Club indicar este Conselheiro.

QUEM PODE E DEVE SER O CONSELHEIRO DO JOVEM?

O conselheiro deve ser um rotariano (ou cônjuge de um companheiro ou pessoa de confiança do Rotary Club) que esteja genuinamente interessado nos jovens e no Programa de Intercâmbio Internacional de Jovens. Ele ou ela deve ser capaz de se relacionar com facilidade com os jovens, obter deles a confiança e respeito, colocando-se na posição de assisti-lo e aconselhá-lo.

O Conselheiro deve compreender suas tarefas e responsabilidades e estar preparado para desempenhá-las. Deve ser pessoa que possa dedicar tempo a seu relacionamento com o jovem, assumindo plenamente seu papel perante o Programa de Intercâmbio de Jovens.

NÃO PODE SER CONSELHEIRO:

– Membro da Família Anfitriã

– Presidente do Clube

– Oficial de Intercâmbio.

PROVIDÊNCIAS DO CONSELHEIRO:

O Conselheiro deve acompanhar as atividades escolares do jovem, orientando-o nas suas dificuldades. Deve estimular sua integração na comunidade e incentivar as atividades que promovam o conhecimento cultural.

O Conselheiro deve manter contatos frequentes com o jovem, seja através de telefonemas, visitas, participações nas reuniões do Clube, assegurando-se de que nenhum problema esteja surgindo. Estes contatos devem ser feitos pelo menos uma vez por semana, mesmo que não existam problemas evidentes com o jovem e seu Programa.

O Conselheiro deve acompanhar as atividades escolares do jovem, orientando-o nas suas dificuldades. Deve estimular sua integração na comunidade e incentivar as atividades que promovam o conhecimento cultural.

– Entrar em contato com o jovem e com a família tão logo tome conhecimento da responsabilidade assumida.

– Manter contato com as famílias anfitriãs e confirmar que estejam aptas a recepcionar o jovem em suas casas

– Acompanhar a família anfitriã na recepção do jovem no aeroporto.

– Verificar se o jovem telefonou a seus pais naturais, confirmando sua chegada e bem estar.

– Orientar jovem e família anfitriã para logo de início dazer as Perguntas da Primeira Noite (disponível em todos os idiomas no site: www.rotary4620.org.br)

– Garantir que jovem e família anfitriã saibam como proceder em caso de emergência médica e como usar o Seguro Saúde.

– Confirmar se o jovem entregou o Fundo de Emergência ao Oficial de Intercâmbio.

– Assegurar-se de que os documentos do jovem estão em ordem. Ex: Vistos, Validade de Passaporte, Registro junto ao Departamento da Polícia Federal.

– Assegurar-se de que o jovem possui passagem aérea de regresso, que possa ser utilizada de imediato no caso de uma emergência (inclusive por motivos disciplinares).

– Informar ao jovem a obrigatoriedade de frequencia mensal às reuniões do Rotary Club Anfitrião, onde o jovem deverá receber a mesada.

– Assegurar-se de que o jovem conhece as regras do Intercâmbio e que ele esteja disposto a cumpri-las durante seu Programa.

– Garantir que o jovem esteja enviando os relatórios mensais ao Comitê de Intercâmbio e que esteja recebendo sua mesada rigorosamente em dia.

– Manter contato frequente com a família e escola para averiguar o andamento do processo de intercâmbio do jovem

– Informar imediatamente ao Oficial de Intercâmbio qualquer sinal de desvio comportamental: uso de drogas e/ou alcool, relações amorosas, companhias não recomendadas, dirigir automóvel, fazer percing ou tatuagem, são alguns exemplos.

– Orientar o jovem sobre seu dever de boa conduta e postura de Jovem Embaixador do Rotary. Informar ao Oficial se acontecer:

falta à escola, falta às reuniões do Rotary Club, faltas às aulas de Português, baixo empenho nas atividades de ação social, baixo empenho ou falta de interesse no aprendizado do idioma e da nossa cultura.

– informar ao Oficial do Intercâmbio sobre as trocas de famílias. Dar assistência ao jovem: antes, durante e depois a mudança de lar, pois este é um momento de tensão, tanto para as famílias envolvidas quanto para o jovem.

AS RESPONSABILIDADES DO CONSELHEIRO:

Durante a 1ª semana da chegada do jovem ao Brasil, o Conselheiro deve fazer contatos frequentes com o jovem, com a família anfitriã e com a escola, assegurando-se de que a ambientação está sendo desenvolvida harmoniosa e corretamente. Este é o período em que o Conselheiro desenvolve o relacionamento com o jovem que vai perdurar por todo o período do intercâmbio. Os problemas surgidos nestes primeiros dias e a maneira com que as soluções são encontradas, podem determinar o sucesso ou fracasso do Programa.

Não é mandatório, mas caso haja possibilidade, o jovem poderá ficar hospedado na casa do Conselheiro logo na chegada, por um breve período. Estes dias poderão ajudar o conselheiro a conhecer melhor o jovem.

ATIVIDADES COORDENADAS PELO CONSELHEIRO DE INTERCÂMBIO

Todo intercambista de Longa Duração (“outbound” ou “inbound”) deverá ter um Conselheiro que o acompanhará durante todo o período de seu intercâmbio. Como seu título já diz, ele é a pessoa encarregada de aconselhar o jovem e deve ser procurado sempre que a família anfitriã do intercambista não conseguir dar-lhe as orientações e respostas satisfatórias.

O Conselheiro deve desenvolver um relacionamento de confiança com o intercambista, para que o jovem possa conversar com ele sobre a família, a escola, sobre saúde, finanças, ou qualquer outro assunto, por mais delicado que seja.

O Conselheiro deve procurar manter contatos frequentes com o jovem, sem esperar que esse o procure. Mas o jovem também deve entrar em contato com seu Conselheiro, sempre que quiser ou precisar, mantendo-o a par de seus planos e programas. O Conselheiro deve estar acessível para atender o intercambista. O Conselheiro deve abordar o jovem sempre de maneira respeitosa para que as diferenças culturais não sejam agredidas. Ex: abraçar um jovem de origem asiática pode caracterizar uma afronta.

COMO PROCEDER COM VIAGENS:

Viagens de intercambistas do Rotary no D4620 somente são permitidas se:

1- em companhia da família anfitriã

2- através das agencias de turismo aprovadas pelo Comitê de Intercâmbio – respeitando calendário de atividades.

O Conselheiro deve estar a par destas viagens sempre.

Viagens sozinho, não são permitidas em hipótese alguma.

Outras viagens, a convite de companheiros ou visitas à parentes e amigos, por exemplo, devem ser analisadas com muita cautela e responsabilidade pelo Conselheiro.

Providencias para aprovar uma viagem:

– verificar a veracidade das informações

– certificar-se como o jovem ficará acomodado e quem será o responsável pelo mesmo durante o período da viagem

– solicitar ao anfitrião: carta convite com todos os detalhes da hospedagem, dados pessoais de todos que o acompanharão na viagem e seus atestados de antecedentes criminais, etc.

Caso o Conselheiro ache pertinente a viagem, deverá ainda obter informações detalhadas de como será realizada a viagem: meio de transporte, detalhes do partida e retorno e os responsáveis pelo transporte.

O conselheiro deverá obter autorização da família natural ou responsáveis legais, da família anfitriã e da escola.

Hospedagem em hoteis, fora do Brasil, principalmente sendo menores de idade, exigem autorizações específicas.

O conselheiro só deve aprovar a viagem se tiver certeza de que os princípios que norteiam o Intercâmbio e suas regras estejam sendo respeitados e certificar-se de que todas as aprovações formais necessárias foram obtidas. Após esta análise o Conselheiro deve informar seu parecer e solicitar a aprovação do Oficial.

POSSÍVEIS DIFICULDADES:

Em algumas situações ocorre falta de empatia entre o jovem e seu Conselheiro. Se isto ocorrer, sem constrangimento algum, o próprio Conselheiro ao notar que seu relacionamento não se desenvolve bem com o jovem, deve solicitar ao Oficial de Intercâmbio seu afastamento e substituição. Um outro Conselheiro deve ser indicado, buscando um relacionamento mais amistoso com o jovem.

Todos os problemas e dificuldades que não puderem ser superados pela ação ou intermediação do Conselheiro devem ser trazidos para o Oficial do Intercâmbio e eventualmente para o Conselho Distrital. O Conselheiro não pode se omitir na ocorrência de problemas com o jovem.

PRINCIPAIS FUNÇÕES:

• DAR ACOLHIMENTO EMOCIONAL AO JOVEM – todos os Intercambistas do Rotary devem ter um conselheiro indicado antes do início do programa.

• CONHECER AS NORMAS E REGRAS DO PROGRAMA DE INTERCÂMBIO DE JOVENS – ler o Manual de Intercâmbio – ler as normas do distrito – participar de treinamentos.

• DISPONIBILIDADE – Deve ser procurado sempre que houver algum problema (jovem, família, escola, clube).

• CONFIABILIDADE – Desenvolver um relacionamento de confiança com o jovem / aproximar-se do jovem / convidar para encontros frequentes / mostra-se respeitoso sobre todos os assuntos.

• ACONSELHAR SOBRE RELAÇÕES PESSOAIS, FAMILIARES E SOCIAIS – relacionamento com a família, escola, comunidade / finanças (mesadas) / saúde / higiene / comportamento.

• VALORIZAR EVENTOS IMPORTANTES: Recepção e Embarque / Festa de Aniversário / Natal.

• INFORMAR – Enviar relatórios frequentes ao Oficial e ao Comitê de Intercâmbio, mesmo que tudo esteja bem. Quando ocorrer qualquer sinal de problema, avisar logo no início.

• MONITORAR O CONTATO COM A FAMÍLIA E AMIGOS – assegurar que o jovem ligue para a família natural assim que chegar à casa da família anfitriã. Orientar o jovem a evitar contatos frequentes com a família natural e amigos do país de origem, durante o intercâmbio.

• PROMOVER O APRENDIZADO CULTURAL – convidar e incentivar que companheiros convidem os jovens estrangeiros para eventos culturais.

• MANTER-SE ATUALIZADO SOBRE OS ACONTECIMENTOS DO PROGRAMA DE INTERCÂMBIO DE JOVENS E ROTARY – Participar dos Treinamentos e Assembleias específicas do Programa de Intercâmbio de Jovens.

• ACOMPANHAR COM ATENÇÃO AS TROCAS DE FAMÍLIAS – manter o Comitê informado sobre eventuais alterações de endereços e telefones.

• Colaborar para a formação de um JOVEM EMBAIXADOR DO ROTARY. Estimular atividades de ação social, palestras na escola, no clube e na comunidade.

MAIS INFORMAÇÕES

acesse o site: www.rotary4620.org.br

APOIO ADMINISTRATIVO (das 8h00 às 17h00):

Rua Visconde do Rio Branco, 104 – Vila Jardini – 18044-000 – Sorocaba – SP

Fone: 15.3221.8000

Email: admpij.d4620@gmail.com