NGSE – Elegibilidade

Não há vaga previamente oferecida, TODOS OS ENVOLVIDOS – comitê distrital, clube local e candidato, devem buscar construir uma parceria para desenvolver UM PROJETO. Como os jovens são de 18 a 25 anos, o distrito 4620 definiu em face das possibilidades de troca de experiências profissionalizantes, que o jovem candidato TEM que ser estudante, e ter pelo menos 50% de sua faculdade concluída na data da viagem, a princípio para conseguir formular conceitos profissionais e intercambiar algum conhecimento. Diante da idade possível, de até 25 anos, alguns já poderiam ter concluído a Universidade, assim será exigido que estejam vinculados a uma pós-graduação em curso na data da viagem.

O vinculo com a Universidade foi uma opção do distrito 4620 para que exista uma relação de responsabilidade, com comprometimento de continuidade do projeto em nosso país, e documento forte que AJUDA no pedido de VISTO, e reforça a necessidade de RETORNO AO BRASIL. O jovem nesta idade tem perfil de Universitário concluinte ou já concluído, e esse é o mesmo perfil do jovem MIGRANTE, e muitos já tiveram o intercâmbio impedido por recusa de visto, frustrando todos que trabalharam para arrumar o intercâmbio, famílias hospedeiras, estágios e tudo o mais, e na hora “H” o intercâmbio não saiu por falta de visto. Também não queremos correr o risco de transtornos internacionais, com o prolongamento do intercâmbio, depois que o jovem está no exterior, por razões não previamente definidas.

Outra coisa que foi considerada é que o Intercambio deve ocorrer de forma a não atrapalhar os estudos na Universidade, e assim sendo deve ser feito nas férias, portanto em CURTO período. Avaliamos também quanto a receber uma inscrição de alguém com a Universidade concluída, e chegamos à conclusão, que pode ser mais válido um bom emprego a quem já se formou, que talvez um período CURTO no exterior.

Prevemos que as inscrições preliminares, envio de application e projeto de intercâmbio, devem começar com muita antecedência, mais ou menos um ano antes. Desta forma o jovem candidato ao intercâmbio uma vez formado, poderia desistir do intercâmbio depois de tudo arranjado. Portanto, vamos dar preferência para os jovens que estejam na época do intercâmbio no terceiro ou quarto ano, ou mesmo que estejam no quinto ano, mas já matriculados ou cursando pós-graduação.

É importante lembrar que esse tipo de intercâmbio é de CURTA duração, e voltado a alguma pratica profissional, portanto não é um intercâmbio para APRENDER a língua e sim para praticar o que já sabe, podendo trocar idéias sobre seus estudos e futura profissão. Logo o candidato TEM que ter fluência na língua do país que pretende se candidatar, ou no mínimo em inglês, que deverá ser uma língua de fácil comunicação no país que tem como objetivo.